Estudos Bíblicos

COISAS QUE OS CRENTES DESCOBRIRAM
  • Salmos 85:10 – ADSM – domingo, 16/08/15 – Pr. Deiró de Andrade.

     

    Jesus é a própria revelação de Deus e do seu incomparável amor.

     

    Colossenses 1:15 – “O qual é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação”.

     

    Imaginem uma cena:

     

    Certo grande rei, justo, sublime e poderoso, possuía apenas um filho, que era  incomparável em sabedoria. Esse majestoso rei criou e adotou quatro filhas maravilhosas, a quem muito amava, e, cujos nomes são absolutamente sugestivos: Misericórdia, Verdade, Justiça e Paz.

     

    Uma família exemplar e unida, que se traduz em absoluta harmonia.

     

    Certo dia, o rei deu ordem explícita, querendo expor à prova o caráter de seu criado, a quem exaltara, a fim de descortinar se era ou não digno de confiança. Ordem simples: Não mexa na minha árvore. Junto da ordem, veio uma advertência: Se desobedeceres, morrerás depois de padeceres miseravelmente.

     

    Ao ouvir a ordem clara, aquele criado logo a infringiu, sem temor...

     

    -      Obstinado, altivo e inchado em vaidades, o criado buscou encontrar razões para sua transgressão, lançando a culpa sobre o nobre rei. “Foi a mulher que tu me destes”.

     

    • Como a dizer que não teria errado, caso o rei não lhe tivesse presenteado com aquela linda esposa.

     

    Em consequência da frontal desobediência, aquele criado foi lançado fora do seu costumeiro lugar, ficando à mercê do tormento e prisão.

     

    Logo, uma das filhas do grande rei, se manifestou daquilo:

     

    Misericórdia, correu apressadamente e viu aquele criado entregue à dor do  tormento, e não conteve-se por causa da compaixão que sentiu.

     

    -      Num gesto automático, ela correu ao Pai, ajoelhando-se aos seus pés, para dizer: “Sou tua filha, e me chamo Misericórdia, porque tu és misericordioso”.

    2a. Coríntios 4:1-4 – “Pelo que, tendo este ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos; Antes, rejeitamos as coisas que, por vergonha, se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; E assim nos recomendamos à consciência de todo homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade. Mas, se ainda o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto. Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus”.

     

    -      A filha, criada com afeição por aquele amoroso pai, manifestou-se com choro, para rogar que o grande rei tivesse misericórdia daquele criado, pois não poderia ser chamado misericordioso caso não tivesse misericórdia daquele moribundo criado.

     

    Verdade, ao saber que sua irmã rogara a piedade do Pai em favor daquele perverso criado, aproximou-se para dizer que não cabia outra sorte ao criado, senão o castigo, vez que em verdade tinha transgredido uma ordem direta. Logo, se o Pai que é verdadeiro, comutasse a pena, ele desprezaria aquela filha que criara com tanto carinho.

     

    Neste ponto que A Misericórdia e a Verdade se encontraram.

     

    Justiça, outra filha criada pelo pai amoroso, logo foi convocada àquela conversa; Sabendo da discussão das irmãs, inquiriu à verdade, e esta, que somente fala o que é verdadeiro, logo respondeu que sua irmã desejava que o Pai tivesse piedade daquele transgressor orgulhoso.

     

    Serena, aquela filha, que sempre esteve centrada em suas posições, olhou para o Pai a inquiri-lo: Se tu és chamado justo, deves exercer justiça com este perverso transgressor, pois foi lhe deixado claro que não deveria desobedecê-lo, para que não fosse punido. É justo.

     

    Justiça e Verdade, uniram-se contra as teses da Misericórdia.

     

    Paz, que não conseguiria conviver onde a harmonia é abalada pela contenda, fugiu para distante...

     

    O grande rei, misericordioso, verdadeiro, justo, e,  pacífico, tinha agora de resolver a questão.

     

    -      Se fosse dado ouvidos à Misericórdia, com certa razão, a Verdade e a Justiça ficariam ofendidas. Caso ouvisse a Verdade e à Justiça, não poderia ter como filha a Misericórdia.

     

    Tudo isto ocorreu por causa de um transgressor e orgulhoso criado.

     

    Ao ver a situação, aquele sábio e amoroso Rei, convoca o Seu Filho, e, assim descortina o que já fora decidido mesmo antes do nascimento daquele criado que transgredira sua ordem expressa.

     

    Foi dado ao Filho o dever de conduzir a questão. Para a equação da difícil questão, algo muito dolorido foi revelado. 

     

    1. A transgressão deveria ser punida exemplarmente...

     

    1. A dissonância das três irmãos deveria ser equacionada...

     

    1. A paz deveria encontrar ambiente propício para sua volta...

     

    1. A vida deveria voltar a ser como antes da transgressão do criado...

     

    Ao ver a disposição de obediência do Filho, então o grande rei deu a ELE a propriedade daquele criado transgressor.

     

    João 6:28-29, 37-38, 44 – “Disseram-lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus? Jesus respondeu e disse-lhes: A obra de Deus é esta: que creiais naquele que ele enviou. (...) vs 37Tudo o que o Pai me dá virá a mim, e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora, porque eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. E a vontade do pai, que me enviou, é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia (...) vs 44 - Ninguém pode vir a mim, se o Pai , que me enviou, o não trouxer; E eu o ressuscitarei no último dia”.  

     

    Assim o Filho entrou neste mundo.

     

    João 7:28-29 – “Clamava, pois, Jesus no templo, ensinando e dizendo: Vós me conheceis e sabeis de onde sou; E eu não vim de mim mesmo, mas aquele que me enviou é verdadeiro, o qual vós não o conheceis. Mas eu conheço-o, porque dele sou, e ele me enviou”.

     

    Ao receber o mandado do Grande Rei, o Filho trouxe a consigo a combativa misericórdia do Pai.

     

    João 16:27-28 – “Pois o mesmo Pai vos ama, visto como vós me amastes e crestes que saí de Deus. Saí do pai e vim ao mundo; outra vez, deixo o mundo e vou para o Pai”.

     

    O Filho precisou humilhar-se, sofrer escárnios, incompreensões e açoites para cumprir com o mandado que recebeu do Grande Rei, mas nunca desistiu de sua misericordiosa missão.

     

    E a cidade da paz festejou a chegada do Filho do Grande Rei, deixando o criado transgressor, perplexo e temeroso.

     

    João 12:12-15 – “No dia seguinte, ouvindo uma grande multidão que viera à festa que Jesus vinha a Jerusalém (cidade da paz), tomaram ramos de palmeiras, e saíram-lhe ao encontro, e clamavam: hosana! Bendito o Rei de Israel, que vem em nome do Senhor! E achou Jesus um jumentinho e assentou-se sobre ele, como está escrito: Não temas, ó filha de Sião! Eis que o teu Rei vem assentado sobre o filho de uma jumenta”.

     

    Ele tinha o objetivo de chegar à prisão, onde jazia o transgressor criado que era alvo da Misericórdia, mas que tinha contra si a Verdade e a Justiça. Nada de paz.

     

    Jesus, então anuncia a razão de sua chegada.

     

    João 12:44-50 – “E Jesus clamou e disse: Quem crê em mim crê, não em mim, mas naquele que me enviou. E quem me vê e mim, vê aquele que me enviou. Eu sou a luz que vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. E, se alguém ouvir as minhas palavras e não crer, eu não o julgo, porque eu vim não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo. Quem me rejeitar a mim e não receber as minhas palavras já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia. Porque eu não tenho falado de mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, ele me deu mandamento sobre o que hei de dizer e sobre o que hei de falar. Eu sei que o seu mandamento é a vida eterna. Portanto, o que eu falo, falo-o como o Pai me tem dito”.

     

    Então o Filho do Grande Rei encontra o transgressor...

     

    -      Ele está preso, aguilhoado, trancafiado sob forte vigilância...

     

    -      O cárcere é insalubre, escuro, frio, doloroso...

     

    -      As algemas da morte o privam da alegria da vida presente...

     

    -      Ele está devorado pela aflição e desespero na alma, e não sabe o que fazer da vida...

     

    -      Seu corpo está completamente tomado pelas chagas do pecado...

     

    -      O criado transgressor soube, então que, por sua causa entrou a morte no mundo, por isso estava naquela prisão de horror...

     

    E o Filho enxergou a miséria do criado transgressor... A Misericórdia do pai estava ao seu lado.

     

    E, Ele amou o criado transgressor, tal como o SEU Pai o havia amado...

    Os quatro atormentadores não davam trégua...

     

    1. A vida presente...

     

    1. Está no lixão de Lo-Debar, a clamar por socorro...

     

     

    1. A miséria deste mundo...

     

    1. Ele está prostrado ao chão, sem forças para se levantar...

     

     

    1. O verme da insatisfação pessoal...

     

    1. A infelicidade que o atormenta diariamente...

     

     

    1. A morte que põe medo...

     

    1. Ela ataca e destrói qualquer expectativa de vida melhor...

     

     

    E o Filho do Grande Rei, entende ter chegado a hora de agir com Misericórdia para resgatar aquele criado infeliz...

     

    1. O Filho do Grande Rei, irrompe pelas grades daquela prisão, em busca de salvar aquele criado das garras dos atormentadores.

     

    1. O Filho do Grande Rei revela o plano de salvação, e propõe ao criado ficar em seu lugar substituindo-o no lugar de tormento.

     

    1. O Filho do Grande Rei chamou o criado transgressor e lhe propõe ser seu irmão e advogado.

     

    1. O Filho do Grande Rei declara ao criado transgressor que tudo o que ele deveria fazer era arrepender-se dos seus pecados contra o Grande Rei, e pedir-lhe perdão através da misericórdia ali presente.

     

    João 1:12 – “Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome”.

     

    A única forma de o Filho do Grande Rei entrar naquela prisão que trancava o criado transgressor era morrendo. ELE decide ir para a cruz.

     

    -      Ao irromper por aqueles portões, o Filho venceu o valente, pois era mais valente do que ele, e, amarrou o homem forte que atormentava o criado na prisão.

     

    O criado transgressor, ao ver o que o Filho do Grande Rei fizera por ele, humilhou-se arrependido, e pediu perdão, clamando por misericórdia.

     

    O Filho do Grande Rei cumpriu o propósito do Pai, para que Justiça e a Paz se beijassem.

     

    Efésios 4:8 – “Pelo que diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens. Ora isto – ele subiu p que é, senão que também antes tinha descido às partes mais baixas da terra. Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas”.

     

    -      O criado transgressor, agora justificado, foi trazido de volta, humilhado e arrependido, e a centésima ovelha foi resgatada.

     

    O Filho agora aguarda o momento glorioso de apresenta-lo ao Pai, com o atendimento do formal pedido que fez, enquanto estava no mundo...

     

    João 17:22-24 – “Eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um , como nós somos um. Eu nele, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que me enviaste a mim, e que os tens amado a eles como me tens amado a mim. Pai, aqueles que me deste quero que, onde eu estiver estejam comigo, para que vejam a gloria que me deste; Porque me hás amado antes da fundação do mundo”.

     

    -      O Filho do Grande Rei, trocou as vestes de tristeza daquele infeliz transgressor, agora arrependido, por roupas de imortalidade...

     

    Ao ver a ação do Pai e do Filho, a Misericórdia não mais reclamou...

     

    Ao ver a ação do Pai e do Filho, a Verdade não mais ficou descontente.

     

    A Justiça ficou satisfeita, porque as penas do criado estavam pagas

     

    Ao ver que suas irmãs estavam em harmonia, a Paz se uniu a elas para festejar.

     

    Misericórdia e Verdade se encontraram. Justiça e Paz se beijaram.

    1a. Timóteo 2:1-6 – “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens. Pelos reis e por todos os que estão em eminencia, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade. Porque isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade. Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem, o qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo”.

     

    Lemos a sublime declaração de Jesus ao doutor da Lei, que ecoa para todos nós.

     

    João 3:16 – “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu Filho Unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna”.

     

    Assim, pelo mediador dos homens e anjos, o homem foi purificado e reconciliado, e a centésima ovelha foi trazida de volta ao aprisco de Deus.

     

    Ao ser anunciada a realização da redenção daquele transgressor criado que se arrepende dos seus pecados, Jesus decide ter chegado a hora de preparar lugar para a chegada do criado que a ele se entregou, quando creu em sua obra redentora.

     

    João 14:1-6 – “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; Se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver, estejais vós também. Mesmo vós sabeis para onde vou e conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais e como podemos conhecer o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao pai senão por mim”.

     

    Está descortinada, então a bendita misericórdia do Grande Rei, com a revelação de sua excelsa sabedoria e decisão misericordiosa pela justa  salvação, que traz a paz ao perdido...

     

    1a. Pedro 1:17-21 – “E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação, sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de vós. E por ele credes em Deus, que o ressuscitou dos mortos e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus”.

     

     

     

     

     

    Lucas 15.11-24

     

    I. COM UM BEIJO

    1. Aquele beijo dizia: Nunca deixei de te amar!

    2. Aquele beijo dizia: Perdôo-te completamente

    3. Aquele beijo dizia: Ficarás para sempre comigo

    4. Aquele beijo dizia: Vamos começar tudo de novo!

     

     

    II. COM A MELHOR ROUPA

    1. Aquela roupa dizia: Quero que sintas prazer!

    2. Aquela roupa dizia: Quero que te sintas seguro

    3. Aquela roupa dizia: Quero que te sintas transformado

    4. Aquela roupa dizia: Quero que te sintas vitorioso!

     

     

    III. COM UM ANEL NO DEDO

    1. Aquele Anel dizia: Meu compromisso contigo se renova

    2. Aquele Anel dizia: Quero que tenhas sucesso (formatura)

    3. Aquele Anel dizia: Nossa comunhão volta a ser a mesma

    4. Aquele Anel dizia: Que voltes a sentir autoridade

     

    IV. COM SANDÁLIAS NOS PÉS

    1. Aquelas sandálias diziam: Estas protegido dos espinhos da floresta

    2. Aquelas sandálias diziam: Estás protegido do calor da estrada

    3. Aquelas Sandálias diziam: Voltas a sentir-se confortável e seguro

    4. Aquelas sandálias diziam: Quero que te sintas livre para caminhar!

     

    E os crentes agora sabem…

     

    Rm 6.14

    1. Que agora são filhos de Deus, 1 Jo 3.1,2.

    2. Que têm direito a morar no Céu, Jo 14.1-3

    3. Que são herdeiros de Deus através de Cristo, Rm 8.17

    4. Que tudo em sua vida agora é novo, II Co 5.17

    5. Que estão livres do poder do pecado que os dominava, Rm 6.14

    6. Que foram total e finalmente perdoados de todo pecado e da transgressão, Sl 103.12; Is 38.7; 43.45; Jr 50.20; I Jo 1.7.

    7. Que não são mais inimigos de Deus, Rm 8.7, pois foram reconciliados com Ele, Ef 2.12-19.

    8. Que tudo isso ocorreu 'pela graça mediante a fé', visto que nada lhes custou, Is 55.1; Ap 22.17.





Congregações

Selecione abaixo a congregação para acessar a Home Page.

Programação

Escola Bíblica
Domingos 9:00hs
Culto da Família
Domingos 18:30hs
Batismo e Santa Ceia
1° Sábado de cada mês - 19:00hs
Cultos da Noite
2° a 6° feira - 19:30hs
Cultos da Tarde
2° a 6° feira - 15:00hs
Cultos da Manhã
2° a 6° feira - 09:00hs
Ensaio Nova Geração
Domingos 11:00hs

Anúncios

Igreja Evangélica Assembléia de Deus em São Mateus
Matriz: Av. Mateo Bei, 263 - São Mateus - São Paulo - SP - Cep: 03949-010
(11) 2919.4244 (atendimento de segunda a sexta das 14h00 as 21h00 - exceto feriado)