Estudos Bíblicos

OPORTUNIDADE ÚNICA, UM EXEMPLO DO LIVRAMENTO PROPOSTO
  • Ezequiel 14:12-23 – ADSM – 4a. feira, 30/09/15 – Pr. Deiró de Andrade. 

    Há poucos dias vimos uma cena absolutamente chocante: Uma jovem repórter, ao narrar a triste saga da diáspora dos povos árabes que não aguentam mais viver sob o regime radical de grupos islâmicos em seus países, estendeu a perna para derrubar um senhor com uma pequena criança no colo. A cena rodou o mundo, e aquele pobre senhor, foi guindado à condição de auxiliar técnico de futebol num grande clube europeu, alcançando status de refugiado, tendo garantida sua dignidade humana. 

     

    Não tiveram a mesma sorte os milhares de outros que continuam atrás de cercas de arames farpados, vigiados por soldados armados de países que alegam não suportarem tamanha avalanche de pessoas.

     

    O mundo permanece em marcha acelerada para a destruição, como previsto nas Escrituras, e isto já se mostra iminente.

     

    -      Questionamento, desobediência, família sob forte ataque do inimigo, e distanciamento de Deus, o Criador que é bendito eternamente, amém;

     

    -      Corrupção de gênero, promiscuidade sexual, perversão moral;

     

    -      Incertezas, injustiça social, mágoas, brigas, tristezas;

     

    -      Pecado, guerras, fome, doenças;

     

    Ainda assim, há muita gente boa, justa, notável e séria; Contudo, ainda que assim procedam em suas ações, estes não conseguem evitar que o mundo continue a caminhar em passos largos para o caos cada vez mais intenso.

     

    Ezequiel 14:13-20 – “Filho do homem, quando uma terra pecar contra mim, gravemente se rebelando, então estenderei a minha mão contra ela, e tornarei instável o sustento do pão, e enviarei contra ela fome, e arrancarei dela homens e animais; Ainda que estivessem no meio dela estes três homens, Noé, Daniel e Jó, eles pela sua justiça, livrariam apenas a sua alma, diz o Senhor Jeová. Se eu fizer passar pela terra nocivas alimárias, e elas a assolarem, que fique assolada, e ninguém possa passar por ela por causa das feras; Ainda que esses três homens estivessem no meio dela, vivo eu, diz o Senhor Jeová, que nem a filhos nem a filhas livrariam; Só eles ficariam livres, e a terra seria assolada. Ou, se eu trouxer a espada sobre a tal terra, e disser: Espada, passa pela terra; e eu arrancar dela homens e animais; Ainda que aqueles três homens estivessem nela, vivo eu, diz o Senhor Jeová, que nem filhos nem filhas livrariam, mas só eles ficariam livres. Ou, se eu enviar a peste sobre a tal terra e derramar o meu furor sobre ela com sangue, para arrancar dela homens e animais; Ainda que Noé, Daniel e Jó estivessem no meio dela, vivo eu, diz o Senhor Jeová, quem nem filho nem filha eles livrariam, mas só livrariam as suas próprias almas pela sua justiça. Porque assim diz o Senhor Jeová: Quanto mais, se eu enviar os meus quatro maus juízos, a espada, e a fome, e as nocivas alimárias, e a peste, contra Jerusalém, para arrancar dela homens e animais?”.

     

    Um de nossos irmãos presente no momento em que Jesus revela e alerta as pessoas acerca do final dos tempos, inspirado pelo Espírito Santo, reproduz em texto a fala do Senhor.

     

    Lucas 17:20-30 – “E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o reino de Deus, respondeu-lhes, e disse: O reino de Deus não vem com aparência exterior. Nem dirão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Porque eis que o reino de Deus está entre vós. E disse aos discípulos: Dias virão em que desejareis ver um dos dias do Filho do homem, e não o vereis. E dir-vos-ão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Não vades, nem os sigais. Porque, como o relâmpago ilumina desde uma extremidade inferior do céu até a outra extremidade, assim será também o Filho do Homem no seu dia. Mas primeiro convém que ele padeça muito e seja reprovado por esta geração. E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do Homem. Comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e consumiu a todos. Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam. Mas, no dia em que Ló saiu de Sodoma, choveu do céu fogo e enxofre, e consumiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do homem se manifestar”.   

     

    O que teria levado Deus a exterminar completamente as cidades de Sodoma, Gomorra e as demais da campina??

     

    Ezequiel 16:45-52 – “Tu és filha de tua mãe, que tinha nojo de seu marido e de seus filhos; e tu és a irmã de tuas irmãs, que tinham nojo de seus maridos e de seus filhos; vossa mãe foi hetéia, e vosso pai, amorreu. E tua irmã maior é Samaria, ela e suas filhas, a qual habita à tua esquerda; e tua irmã menor que tu, que habita à tua mão direita, é Sodoma e suas filhas. Todavia, não andaste nos seus caminhos, nem fizeste conforme as sua abominações; mas, como se isto mui pouco fora, ainda te corrompeste mais do que elas, em todos os teus caminhos. Vivo eu, diz o Senhor Jeová, que não fez Sodoma, tua irmã, ela e suas filhas, como fizeste tu e tuas filhas. Eis que esta foi a maldade de Sodoma, tua irmã: soberba, fartura de pão, e abundancia de ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca esforçou a mão do pobre e do necessitado. E se ensoberbeceram e fizeram abominação diante de mim; pelo que as tirei dali, vendo eu isto. Também Samaria não cometeu metade de teus pecados; e multiplicaste as tuas abominações mais do que elas e justificaste a tuas irmãs, com todas as abominações que fizeste. Tu, pois, sofre a tua vergonha, tu que julgaste a tuas irmãs, pelos teus pecados, que fizeste mais abomináveis do que elas; Mas justas são do que tu; envergonha-te logo também e sofre a tua vergonha, pois justificaste a tuas irmãs”.

     

    Outro irmão nosso, também presente no episódio do sermão de Jesus, e, igualmente inspirado pelo Espírito Santo, assim descreve a cena daquela fala:

     

    Mateus 24:36-39 – “Porém daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, mas unicamente o Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem”.

     

    -      Observem que Noé pregou com sua vida e ações diárias, alertando para o juízo, mas as pessoas, inclusive parentes, o ignoraram.

     

    -      Observem ainda que Noé passou por desapercebido, pois não deram falta dele, quando entrou na arca, descobrindo a ausência tarde demais.

    Desde os tempos imemoriais, Deus tem preservado a humanidade, através de poucos remanescentes, como dando nova oportunidade de acertarem.

     

    Isaias 1:9 – “Se o Senhor dos Exércitos nos não deixara algum remanescente, já como Sodoma seríamos e semelhantes a Gomorra”.

     

    Este é o ponto crucial da história. No meio do caos, Deus ainda preserva pessoas cujo coração se esforça por viver dignamente.

     

    1a. Pedro 3:20 – “Os quais em outro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas, isto é, oito almas se salvaram pela água, que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo; O qual está a destra de Deus tendo subido ao céu, havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potências”.

     

    Meus irmãos, vivemos tempos trabalhosos em que a falência doutrinária tem se mostrado eficaz para destruição de muitos crentes em Jesus.

     

    2a. Pedro 2:1-11 – “E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. E, por avareza, farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo; E não perdoou ao mundo antigo, mas guardou a Noé, pregoeiro da justiça, com mais sete pessoas, ao trazer o dilúvio sobre o mundo dos ímpios. E condenou à subversão as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente; E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis. (Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, pelo que via e ouvia sobre as suas obras injustas). Assim sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos e reservar os injustos para o dia de juízo, para serem castigados, mas principalmente aqueles que segundo a carne andam em concupiscências de imundícia e desprezam as dominações. Atrevidos, obstinados, não receando blasfemar das dignidades, enquanto os anjos, sendo maiores em força e poder, não pronunciam contra eles em juízo blasfemo diante do Senhor”.

     

    A criação.

     

    Deus criou todas as coisas em estado perfeito, e deu uma ordem simples às pessoas, informando-as de que a desobediência geraria o caos, assim como a obediência os preservaria e os faria felizes.

     

    A tentação satânica.

     

    O inimigo que fora lançado desde os céus, em razão de seu comportamento insubordinado ao Criador, resolveu vingar-se de Deus, derrubando o homem feito à imagem e semelhança de Deus; Assim é que propõe a desobediência como estilo de vida.

    Apocalipse 12:13 – “E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o varão”.

     

    Isaias 14:11-15 – “E foi derribada no inferno a tua soberba, com o som dos teus alaúdes; os bichinhos, debaixo de ti, se estenderam, e os bichos te cobrirão. Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, da banda dos lados do Norte. Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. E, contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo”.

     

    A narrativa da batalha de expulsão ficou registrada pelo Espírito Santo, na revelação dada à igreja, pelo ministério de João, em Patmos.

     

    Apocalipse 12:7-9 – “E houve batalha no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão; e batalhava o dragão e os seus anjos. Mas não prevaleceram; nem mais o seu lugar se achou nos céus. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele”.

     

    Vendo sua irremediável situação, Satanás elaborou a engenharia do caos, ao deparar-se diante da mulher que seria o instrumento da redenção da criação, e da reconciliação com Deus de toda a natureza afetada pelo pecado.

     

    Colossenses 1:19-20 – “Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse. E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus”.

     

    Sim, toda a criação afetada pela ação de insubordinação, desobediência e  rebelião plantadas pelo inimigo, agora poderia ser restaurada. Nova chance.

     

    Assim, o inimigo lançou seus tentáculos para destruição do ser humano, desde o princípio, procurando inculcar no homem a desobediência ao Criador.

     

    Gênesis 3:1-5 – “Ora, a serpente era mais astuta que todas as alimárias do campo que o Senhor Deus tinha feito. E esta disse à mulher: É assim que Deus disse: não comerás de toda árvore do jardim? E disse a mulher à serpente: Do fruto das árvores do jardim comeremos, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal”.

     

    -      A dúvida acerca da bondade de Deus. Vocês não podem desfrutar de tudo o que dá alegria e prazer??? – diálogo aberto para revelação da orientação de Deus. Eis o problema de lançar pérolas aos porcos.

     

    -      Insubordinação. Agora não seria mais o Criador quem diria o que é certo e o que é errado, mas o próprio homem seria dono das razões, e decidiria o que é certo e o que é errado.

    Prestar ouvidos ao inimigo traz consequências desastrosas, em razão de sua astúcia e poder de persuasão.

     

    Gênesis 3:6-8 – “E, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela. Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim”.

     

    -      A tentativa de arrumar as coisas a seu modo, fez que planejassem a famosa STA – serviço técnico alternativo, ou simplesmente a gambiarra.

     

    -      As gambiarras da vida espiritual fazem que as pessoas envergonhem-se diante de Deus, o Criador Bendito, nosso Eterno Pai e Senhor.

     

    Mas Deus nunca desistiu do ser humano a quem criou com amor, esmero e tanto carinho, desejando estar com ele nos seus passeios pelo jardim.

     

    Gênesis 3:9-11 – “E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás? E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me. E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses?”.

     

    -      É um chamado à reflexão e a chance de restauração pela confissão gerada no arrependimento.

     

    -      Mas o caos se instalara, e uma das consequências do pecado já estava ali posta. A dissimulação.

     

    Gênesis 3:12-13 – “Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore e comi. E disse o Senhor Deus à mulher: Por que fizeste isto? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi”.

     

    -      É exatamente assim desde então, pois as pessoas sempre lançam uma desculpa e apontam um culpado para o seu estado de miséria.

     

    -      Não há no ser humano, de maneira geral, a disposição de assumir a culpa, mas simplesmente dizer que é assim porque alguém é culpado.

     

    Romanos 5:12 – “Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram”.

     

    -      Aquela insubordinação do homem, ainda que cooptado pela engenharia do inimigo, trouxe o pecado para o mundo que agora carece de redenção.

     

    Desde então, Deus vem trabalhando na restauração do gênero humano. Não com uma solução de emergência, que realinha acidente de percurso; Mas por algo que já estava preparado desde antes mesmo de os mundos existirem.

     

    Agora o Espírito Santo chama as pessoas para a reconciliação e acordem para a realidade da salvação que está disponível ainda, até que a porta da Graça se feche.

     

    1a. Pedro 1:17-20 – “E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação, sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, o qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós”.

     

    -      Ninguém surpreende a Deus...   

     

    Foi a ação poderosa da Graça de Deus que nos trouxe de volta à razão, dando-nos nova oportunidade de declaração de obediência ao nosso Criador que é bendito eternamente, amém.

     

    Colossenses 1:21-23 – “A vós também, que em outro tempo éreis estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora, contudo, vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis. Se, na verdade, permanecerdes fundados e firmes na fé e não vos moverdes da esperança do evangelho que tendes ouvido, o qual foi pregado a toda criatura que há debaixo do céu, e do qual eu, Paulo, estou feito ministro”.   

     

    A própria Lei, rígida, dura e inegociável, é uma obra da Graça de Deus, pois aponta os nossos erros, dando-nos a oportunidade de correção de rumos.

     

    Romanos 5:13-21 – “Porque até à Lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado não havendo lei. No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir. Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a Graça de Deus e o dom pela Graça que é e um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos. E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou, Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação. Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundancia da Graça e do dom da justiça reinarão em vida por um só – Jesus Cristo. Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida. Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim, pela obediência de um, muitos serão feitos justos. Veio, porém, a Lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a Graça; Para que, assim como o pecado reinou na morte, também a Graça reinasse pela justiça para a vida eterna por Jesus Cristo, nosso Senhor”.

     

    -      Logo, a maior das vitórias não consiste naquilo que usufruímos ou vemos aqui, embora isto seja uma grande benção e sinal, mas o que vale é o que está registrado na eternidade a nosso respeito.

     

    Lucas 10:17-21 – “E voltaram os setenta com alegria, dizendo: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam. E disse-lhes: Eu via satanás, como raio, cair do céu. Eis que vos dou poder para pisas serpentes, e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum. Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estarem os vossos nomes escritos nos céus”.

     

    Ao tempo de Jó, embora ele sempre se mostrasse íntegro e fiel, ele tinha a percepção de que seus filhos transgrediam ao blasfemar de Deus, e agia por amor a eles. Mas um dia o juízo chegou para eles.

     

    Jó 1:5-7 – “Sucedia, pois, que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura pecaram meus filhos e blasfemaram de Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente. E vindo um dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles, Então o Senhor disse a Satanás: De onde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, e disse: De rodear a terra e passear por ela. E disse o Senhor a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero, e reto, e temente a Deus, e desviando-se do mal”.

     

    As desastrosas consequências da desobediência.

     

    -      A injustiça social, que provocou a destruição de Sodoma e Gomorra.

     

    -      A injustiça social como consequência do pecado.

     

    Ezequiel 16:49 - Eis que esta foi a maldade de Sodoma, tua irmã: soberba, fartura de pão, e abundancia de ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca esforçou a mão do pobre e do necessitado. E se ensoberbeceram e fizeram abominação diante de mim; pelo que as tirei dali, vendo eu isto.

     

     

    A humanidade antes e depois do pecado.

     

    Romanos 6:21-23 – “E que fruto tínheis então das coisas de que agora vos envergonhais? Porque o fim delas é a morte. Mas agora, libertados do pecado e feitos servos e Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor”.

     

    -      Ora, se o salário do pecado é a morte, lógico se faz entender que, antes do pecado não se falava em morte.

     

    • Vale dizer que não cremos na imortalidade da alma. Isto é da doutrina dos espíritas.

     

    • Cremos na ressurreição. Isto é a promessa feita por Jesus cristo.

    A narrativa da saga de Noé, enquanto construía a arca nos moldes ditados pelo Criador, nosso Eterno Pai, nos indica e propõe o livramento da destruição iminente, abrindo-nos a janela da segunda chance.

     

    Deus mandou que Noé construísse uma arca, porque as pessoas estavam vivendo segundo os moldes plantados pela mentira da serpente.

     

    -      Deus se propunha renovar toda a terra, salvando apenas a família de Noé, da qual descenderia toda a humanidade pós diluviana.

     

    -      Deus se agradou de Noé por causa de sua obediência, bondade e senso de justiça.

     

    • As pessoas estavam tão influenciadas pelo jeito de viver pregado pela serpente, que ouviram Noé por 120 anos e não lhe deram a atenção necessária.

     

    • Os animais que obedeceram ao chamado de Deus, foram salvos.

     

    • As oito pessoas que obedeceram ao chamado de Deus, foram salvas.

     

     

    Noé nos ensina que obedecer a Deus é a chave para a salvação.

     

    Noé nos ensina que Jesus salva, liberta, protege, defende a todos aqueles que se dispõem entrar por Jesus.

     

    Noé nos ensina que devemos entrar na arca da salvação antes que seja tarde demais.

     

    Noé nos ensina que entrando na arca da salvação, logo percebemos o arco íris que revela a aliança da benção de Deus.

     

    Noé nos ensina que não podemos desprezar a oportunidade de salvação, sob pena de não haver nova chance.

     

    A nova e derradeira chance.

     

    A arca era o símbolo de Jesus que convida a todos que venham a ELE para serem salvos do dia da ira, que se aproxima. Jesus é a arca da salvação, na qual Deus nos salva completamente.

     

    Assim como aquela arca, a salvação em Jesus é obra da Graça de Deus.

    João 3:16 - “Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.

     

    -      Jesus está de braços (portas) abertos, esperando as pessoas que decidam obedecer a Deus, entrando nele, para a salvação.

     

    2a. Pedro 3:10-13 – “Mas o dia do Senhor vira como o ladrão de noite, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se fundirão, e a terra e as obras que nela há se queimarão. Havendo, pois, deperecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato e piedade. Aguardando e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo, se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça”.

     

    -      Nosso destino é habita no novo céu e na nova terra, onde habita a justiça.

     

    Esta é a promessa que ELE nos fez.

     

    1a. João 2:24-25 – “Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai. E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna”.

     

    1a. João 5:10-13 – “Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê, mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu. E o testemunho é este: Que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho, tem a vida; Quem não tem o Filho de Deus, não tem a vida. Estas coisas vos escrevi, para que saibais que tendes a vida eterna e para que creiais no nome do Filho de Deus”.

     

    Eis a razão do chamado de Jesus para a intensa comunhão com ELE, representada no ato de celebração da Santa Ceia.

     

    João 6:51-57 – “Eu sou o pão vivo que desceu do céu; Se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo. Disputavam, pois, os judeus entre si, dizendo: Como nos pode dar este a sua carne a comer? Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no ultimo dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim, e eu, nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim quem de mim se alimenta também viverá por mim”.

     

    João 10:7 – “Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas”.

     

    Mateus 11:28 – “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. 





Congregações

Selecione abaixo a congregação para acessar a Home Page.

Programação

Escola Bíblica
Domingos 9:00hs
Culto da Família
Domingos 18:30hs
Batismo e Santa Ceia
1° Sábado de cada mês - 19:00hs
Cultos da Noite
2° a 6° feira - 19:30hs
Cultos da Tarde
2° a 6° feira - 15:00hs
Cultos da Manhã
2° a 6° feira - 09:00hs
Ensaio Nova Geração
Domingos 11:00hs

Anúncios

Igreja Evangélica Assembléia de Deus em São Mateus
Matriz: Av. Mateo Bei, 263 - São Mateus - São Paulo - SP - Cep: 03949-010
(11) 2919.4244 (atendimento de segunda a sexta das 14h00 as 21h00 - exceto feriado)