Palavra do Pastor

FÉ, RECONHECIMENTO E HUMILDADE GERANDO BENÇÃOS EM CASA
  • Lucas 7:1-10 – AD São Mateus – domingo, 21/04/2013 – Pr. Deiró de Andrade.

     

    Jesus concluía um sermão no qual demonstrava a todos que as pessoas cujo coração está tendente ao bem, sempre têm uma atenção e uma deferência especial de Deus.

     

    Este era um momento muito especial, pois Jesus acabara de eleger os doze apóstolos, aos quais deu poder para, em seu nome, levarem adiante a mensagem do Reino dos Céus que se inaugurara com a vinda do Messias, Jesus Cristo, de Nazaré.

     

    Para se evangelizar os povos, é preciso amá-los e descobrir que seus olhos estão nublados por causa dos argueiros da incredulidade. Os evangelistas precisam se dispor a enxergar bem, tirando as vendas próprios olhos, a fim de revelarem o amor de Deus àqueles que estão caminhando cegamente, em razão da contaminação do pecado.

     

    Uma árvore má nunca produz frutos bons, e uma árvore boa, nunca produz frutos maus. Sim, há pessoas que, ainda que integrem, em tese, as forças políticas ou militares dos inimigos, seu coração não está contaminado pelo ódio gratuito, e procuram fazer o bem, em justiça, retidão e amor, razão porque Deus os vê com ternura também.

     

    Quando desejamos evangelizar, ou seja, tirar os ciscos dos olhos das pessoas que não conseguem enxergar o óbvio do amor de Deus demonstrado na encarnação do Verbo de Deus, precisamos fazer uma análise de nós mesmos, de como está nossa fé, e de como enxergamos o Redentor.

     

    Lucas 6:41-42 – “E por que atentas tu no argueiro que está no olho do teu irmão e não reparas na trave que está no teu próprio olho? Ou como podes dizer a teu irmão: Irmão deixa-me tirar o argueiro que está no teu olho, não atentando tu mesmo na trave que está no teu olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão”.

     

    -       A melhor tradução para esta palavra ‘hipócrita’ é ator. Ou seja, não podemos fingir que enxergamos com seriedade o amor de Deus, usando de uma fé fingida, para evangelizar as pessoas.

     

    -       Há pessoas que não têm autoridade moral para falarem do amor de Deus, pois seu próprio coração está repleto de ódio, inveja, cobiça, e visão discriminatória daqueles a quem sabe que deve evangelizar.

     

    -       Ao dizer que os crentes são a luz do mundo, Jesus afirmava que esta luz deve brilhar sobre o velador, diante dos homens, para que as pessoas vejam as suas boas obras e sejam atraídas ao amor de Deus por suas atitudes, muito mais eloquentes que suas palavras, a fim de eles também glorificarem a Deus.

     

    Mateus 5:14 – “Vós sois a luz do mundo; Não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas voas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus”.

     

    -       Quando a pessoa crente está vivendo de acordo com os ensinos de Jesus, se esforçando para fazer sempre o bem, os mesmos ímpios que estão a observar, sentem-se atraídos pela luz que irradia de tais crentes.

     

    Jesus precisava ensinar aos evangelistas que nunca deveriam odiar as pessoas apenas porque não tinham a mesma fé que eles, mas que deveriam observar todas as coisas boas que cada um deles têm, entulhadas debaixo dos escombros da demolição de suas “próprias casas pessoais (vida)”, em razão do pecado, e atraí-las à glória de Deus com suas atitudes pessoais e a mensagem salvadora, do amor de Deus, pelo Espírito Santo.

     

    Lucas 6:43-44 – “Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê bom fruto. Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois não se colhem figos dos espinheiros, nem se vindimam uvas dos abrolhos. O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração, tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca. E por que me chamais Senhor, Senhor, e não fazeis o que eu digo?”.

     

    Jesus, então emenda sua fala, ao dizer que as pessoas que estão dispostas a chama-lo de Senhor, devem, também, obedecê-lo na íntegra, tornando-se um agente e embaixador do Reino de Deus.

     

    Lucas 6:27-31 – “Mas a vós, que ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos aborrecem, bendizei os que vos maldizem e orai pelos que vos caluniam. Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, nem a túnica recuses. E dá a qualquer que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho tornes a pedir. E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira fazei0lhes vós também. E, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Também os pecadores amam aos que os amam. E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que recompensa tereis? Também os pecadores fazem o mesmo”.

     

    Sim, a motivação dos pregadores deve ser o amor às pessoas que estejam perdidas pelo caminho, em razão de nunca conseguirem enxergar direito o amor de Deus, exposto na cruz com a morte sacrificial de SEU Filho Unigênito. Nenhuma outra. Nenhuma outra.

     

    Romanos 10:8-15 – “Porém que se diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; Isto ‘, a palavra da fé que pregamos. Se, com a tua boca confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação. Porquanto a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será confundido. Pois não há distinção entre judeu e grego, uma vez que o mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas”.

     

    Jesus, então declara que todos os que vêm a ELE, ouvem a pregação, e observam atentamente são semelhantes àqueles que edificam suas casas com responsabilidade, buscando firmar bem seus alicerces. Mas nem todos são assim.

     

    Lucas 6:47-48 – “Qualquer que vem a mim, e ouve as minhas palavras, e as observa, eu vos mostrarei a quem é semelhante. É semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou bem fundo, e pôs os alicerces sobre rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquele casa e não a pôde abalar, porque estava fundada sobre rocha”.

     

    Sim, a identidade cristã dos que servem a Deus, dependem substancialmente do tipo de mensagem que ouvem, quando decidem vir a Cristo, integrando as fileiras do evangelho.

     

    O Texto do capítulo 7 tem, então seu inicio com uma assertiva interessante:

     

    Lucas 7:1 – “E, depois de concluir todos esses discursos perante o povo, entrou em Cafarnaum”.

    Chegara a hora de por em prática tudo aquilo que ele ensinara aos seus evangelistas recém escolhidos.

     

    Um centurião romano, soldado de alta patente do exército inimigo, que comandava todas aquelas terras, envia mensageiros a Jesus, buscando solução para uma importante situação de enfermidade que assolava em casa, alguém a quem muito estimava.

     

    Não há informações sobre este criado, mas há importantes informações sobre este militar romano.

     

    1. Ele ouviu falar de Jesus.
    2. Ele enviou pessoas respeitáveis dentre os judeus, para lhe pedir ajuda.
    3. Ele se posicionou arrogantemente, mas rogou que Jesus viesse à sua casa.
    4. Ele mostrou-se humilde reconhecendo a autoridade divina delegada a Jesus.

     

    Jesus, agora precisa mostrar na prática o que acabara de ensinar sobre as árvores e seus frutos, e este é o momento oportuno para fazê-lo, exatamente porque aquele homem era representante das pessoas mais odiadas pela nação dos hebreus.

     

    Lucas 7:4-5 – “E, chegando eles junto de Jesus, rogaram-lhe muito, dizendo: É digno de que lhe concedas isso. Porque ama a nossa nação e ele mesmo nos edificou a sinagoga”.

     

    -       Os próprios anciãos dos judeus davam testemunho de seu caráter bondoso e de suas boas intenções, embora não conhecesse o amor de Deus para com toda humanidade.

     

    -       As atitudes daquele homem, embora não fosse “crente”, eram de pessoas cuja índole é dócil e boa, assim como muitas pessoas que não professam nossa fé, mas são pessoas de caráter ilibado, íntegras e decentes em todos os seus feitos.

     

    Deus sempre observa as pessoas em seus corações e busca leva-las ao pleno conhecimento de Deus, tirando delas os ciscos que a impedem de enxergar mais claramente as verdades do amor de Deus, expostas no Evangelho.

     

    Deus envia até estas pessoas anjos e pregadores para que sejam tocados pela mensagem da salvação e enxerguem com clareza o amor de Deus e sua eficaz salvação pela graça.

     

    Atos 10:1-5 – “Morava em Cesaréia um homem de nome Cornélio, centurião da coorte chamada italiana. Piedoso e temente a Deus com toda a sua casa e que fazia muitas esmolas ao povo e, de contínuo, orava a Deus. Esse homem observou claramente durante uma visão, cerca da hora nona do dia, um anjo de Deus que se aproximou dele e lhe disse: Cornélio! Este, fixando nele os olhos e possuído de temor, perguntou: Que é, Senhor? E o anjo lhe disse: As tuas orações e as tuas esmolas subiram para memória diante de Deus. Agora, envia mensageiros a Jope e manda chamar Simão, que tem por sobrenome Pedro... (vs 15) – Segunda vez a voz lhe falou: Ao que Deus purificou não consideres comum... (vs 24) – No dia imediato, entrou em Cesaréia. Cornélio estava esperando por eles, tendo reunido seus parentes e amigos íntimos... (vs 34) Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que o teme e faz o que é justo lhe é aceitável... (vs 38) ... Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder, o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele. E nós somos testemunhas de tudo o que ele fez na terra dos judeus e em Jerusalém; ao qual também tiraram a vida, pendurando-o no madeiro. A este ressuscitou Deus no terceiro dia e concedeu que fosse manifesto... (vs 44) Ainda Pedro falava estas coisas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra”.

    -       Sim, a mensagem de Pedro falava da morte e da ressurreição de Jesus Cristo, a demonstração do amor de Deus por todos os pecadores representados no Cordeiro Santo que só fazia o bem e nunca pecou, mas recebeu nele mesmo o castigo de nossa redenção.

     

    -       O Espírito Santo, logo confirmou a mensagem, trazendo poder àquele ambiente e as pessoas foram cheias da presença de Deus e batizadas no Espírito Santo.

     

    Ora, irmãos, o que aconteceu em Cafarnaum é um indicativo de que Deus espera que os pregadores vejam com amor e compaixão as pessoas que estejam perdidas neste mundo, sem conseguirem enxergar este sacrifício redentor feito pelo Senhor Jesus.

     

    Sim, ha muitas pessoas com ciscos nos olhos, mas praticando muitos atos generosos e de amor sincero e cujas ações estão diante do Senhor.

     

    -       Filantropia, misericórdia, cuidado, ajuda, compaixão, trabalho voluntário, carinho, contribuições à saúde, à erradicação da pobreza e do analfabetismo, etc.

     

    Jesus decidiu ir até a casa daquele centurião romano, para atender-lhe o pedido.

     

    Próximo de sua casa, alguns amigos daquele centurião vieram ter com Jesus, dizendo-lhe que não se incomodasse com ele, porque não se sentia digno de que Jesus entrasse debaixo de seu telhado.

     

    Na verdade, ele afirmou que não se sentia digno sequer de apresentar-se diante de Jesus em pessoa, por isso rogava apenas que enviasse uma palavra, pois entendia que assim, seu criado sararia da enfermidade, e expôs seu motivo de crença.

     

    Lucas 7:8 – “Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados sob o meu poder, e digo a este: vai; e ele vai; e a outro: vem; e ele vem; e ao meu servo: faze isto; e ele o faz”.

     

    -       O centurião está declarando o que muitos que já ingressaram as fileiras do evangelho a tempos e querem se tornar pregadores, tirando ciscos dos olhos de outras pessoas ainda não perceberam: que Jesus é detentor, ele mesmo em pessoa, de todo o poder e autoridade do céu.

     

    Jesus maravilhou-se com a percepção daquele centurião e declarou que nem em todo o Israel havia encontrado uma fé como aquela.

     

    1. O centurião postou-se com humildade diante de quem possui toda autoridade.
    2. O centurião confiou com todas as forcas no poder de Jesus sobre forças espirituais.

     

    Ele sabia que, tal como recebera autoridade conferida por Roma, Jesus tinha autoridade de Deus que o capacitava a exercer poder sobre qualquer enfermidade.

     

    A fé daquele homem tido como pagão, se contrastava com a incredulidade dos judeus, de quem ELE esperava que cressem mais, pois eram súditos do reino.

     

    Seus olhos estavam com traves de incredulidade, mas queriam proclamar salvação aos que possuíam ciscos nos olhos.

     





Congregações

Selecione abaixo a congregação para acessar a Home Page.

Programação

Escola Bíblica
Domingos 9:00hs
Culto da Família
Domingos 18:30hs
Batismo e Santa Ceia
1° Sábado de cada mês - 19:00hs
Cultos da Noite
2° a 6° feira - 19:30hs
Cultos da Tarde
2° a 6° feira - 15:00hs
Cultos da Manhã
2° a 6° feira - 09:00hs
Ensaio Nova Geração
Domingos 11:00hs

Anúncios

Igreja Evangélica Assembléia de Deus em São Mateus
Matriz: Av. Mateo Bei, 263 - São Mateus - São Paulo - SP - Cep: 03949-010
(11) 2919.4244 (atendimento de segunda a sexta das 14h00 as 21h00 - exceto feriado)